Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/02/20 às 11h44 - Atualizado em 28/02/20 às 11h44

Alargamento do viaduto da EPCT/EPTG é entregue à população

COMPARTILHAR

Demanda antiga da população, a construção do alargamento do viaduto da interseção da Estrada Parque Taguatinga Guará (EPTG) e da Estrada Parque Contorno (EPCT/DF-001), localizada no trecho 10 do Corredor Oeste, em Taguatinga, foi oficialmente entregue à população nesta sexta-feira, 28 de fevereiro.

 

Agora, os mais de 135 mil veículos que circulam pela região podem trafegar por 11 faixas, cinco no sentido Plano Piloto e quatro no sentido Taguatinga, além de duas exclusivas para ônibus. Situação bem diferente da enfrentada pelos motoristas por anos, quando a trafegabilidade se limitava a seis faixas de trânsito no total. Foram investidos R$5,1 milhões na unificação dos viadutos, que antes possuía 20 metros de largura e, agora, conta com 41,80 metros.

 

“O impacto no trânsito será imediato. O estrangulamento não existirá mais. No entanto, é importante ressaltar que esta é apenas a primeira obra entregue por esta gestão para melhorar a trafegabilidade na região. Vem muito mais por aí. O alargamento era necessário para darmos a início às obras do Túnel de Taguatinga, previstas para começarem em julho deste ano”, explica Luciano Carvalho, secretário de obras do GDF.

 

Em complemento à obra de expansão do viaduto, foram realizados serviços de pavimentação do acesso e das alças do viaduto, sinalização da via, pintura de faixas e do meio-fio e plantio de grama no canteiro. Além da empresa contratada pela SODF, participaram das ações o DER, a Novacap, a CEB, o SLU, o Detran e as Administrações de Taguatinga e Águas Claras.

 

HISTÓRICO DA OBRA – Iniciadas em 2015, as obras do alargamento foram suspensas em três oportunidades para readequações no projeto executivo. Até junho de 2019, quando foram retomadas de forma definitiva, apenas 25% dos serviços haviam sido executados.

 

“A população estava sofrendo com a obra paralisada. A atual gestão definiu como prioridade a solução dos entraves e a retomada da obra. Dessa forma, em tempo curto, analisamos os contratos, resolvemos as pendências jurídicas, ajustamos o projeto e definimos um cronograma arrojado”, afirma Luciano Carvalho. “Mais 70% da obra foi realizada em um período de seis meses. Com sol ou chuva, as máquinas estavam trabalhando dentro do possível no limite”, acrescenta.

 

CORREDOR EIXO OESTE – A obra do alargamento do viaduto da interseção da EPTG – EPCT (DF-001) é a terceira entrega das 20 obras previstas no projeto do Corredor Eixo-Oeste. Antes, já haviam sido entregues o viaduto no final da W3 Sul e a Avenida T1, via de ligação entre o Sol Nascente e a Avenida Hélio Prates.

 

“As obras do Corredor Eixo Oeste, principal projeto viário para a região sul do Distrito Federal, definitivamente saíram do papel. Concluímos o alargamento do viaduto da EPCT com a EPTG, anunciamos a revitalização da Hélio Prates e da construção do Viaduto da Estrada Parque Indústria Gráficas (EPIG), na altura do Parque da Cidade, e confirmamos o início das obras de construção do túnel de Taguatinga para o segundo semestre de 2020”, pontua o secretário de obras.

 

No projeto do Corredor Eixo-Oeste, está previsto o alargamento de pistas e a construção de faixas exclusivas nas principais vias de ligação do Sol Nascente com o Plano Piloto, como a Hélio Prates, Estrada Parque Indústrias Gráficas (EPIG), chegando ao Eixo Monumental; e a Via Setor Policial Militar (ESPM), para acesso ao Terminal da Asa Sul.

 

O projeto total é de 38,7 quilômetros de extensão que ligam Ceilândia ao Plano Piloto, passando por Taguatinga. O Eixo Oeste beneficiará diretamente a população do Plano Piloto e Regiões Administrativas de Ceilândia, Taguatinga, Samambaia, Águas Claras, Vicente Pires e Guará. Também serão beneficiadas, indiretamente, as regiões de Brazlândia e de Águas Lindas/GO.

 

ILUMINAÇÃO – A Companhia Energética de Brasília (CEB) instalou dois postes de 20 metros, com luminárias LED de 280 watts, e sete postes de 7,5 metros, com luminárias LED de 120 watts, na estrutura abaixo do viaduto para garantir iluminação de qualidade e a segurança dos motoristas que trafegam pelo local. O investimento foi de R$20.769,16.

 

DADOS DA OBRA

 

Volume de concreto aproximado: 2.000 m³
Quantidade de aço aproximada: 220 toneladas
Valor: R$5.155.676,09