Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/11/19 às 15h56 - Atualizado em 18/11/19 às 15h56

GDF e alunos de engenharia civil vistoriam viaduto da Rua Alecrim, em Águas Claras

COMPARTILHAR

Em continuidade a agenda de vistorias cadastrais nos mais de 700 pontes, viadutos e passarelas da cidade, técnicos e engenheiros do Grupo de Trabalho das Obras de Artes Especiais (OAEs) realizaram, nesta segunda-feira (18), a análise de patologias estruturais do viaduto da Rua Alecrim, em Águas Claras.

 

A vistoria contou com a participação e apoio de 12 alunos do curso de Engenharia Civil do Centro Universitário Icesp. “Não foram identificados problemas no viaduto. Com a orientação dos técnicos do GDF, fica fácil analisar. Muito produtivo, pois conseguimos colocar em prática o conhecimento adquirido nas aulas”, avaliou o estudante Nielson Dias.

 

A ação faz parte das atividades do Grupo de Trabalho formado, em fevereiro deste ano, para avaliar preliminarmente o estágio de manutenção de Obras de Arte Especiais (OAEs). Em novembro, 18 viadutos, localizados nas regiões administrativas de Águas Claras, Taguatinga, Plano Piloto(Setor Policial),Guará, Samambaia e Ceilândia, serão vistoriados com a participação de alunos de engenharia de seis instituições de ensino superior do DF.

 

“A ideia dessas vistorias surgiu do Grupo de Trabalho criado neste ano pelo Governo do Distrito Federal. Nós notamos, durante as reuniões preliminares, que as instituições de ensino superior tinham interesse em participar, justamente para adotarem essa cultura da manutenção preventiva com os estudantes”, explica o engenheiro da Secretaria de Obras e Infraestrutura Maurício Canovas.

 

“Esse tipo de trabalho não é feita em sala de aula. Em assim sendo, o GDF abraçou essa causa e, desde outubro, estamos vistoriando essas estruturas”, complementa Canovas. “Nossos engenheiros vão emitir os relatórios identificando a real situação de cada um dos monumentos vistoriados. Acreditamos que cerca de 90% das estruturas estarão em bom estado de conservação, não necessitando de medidas imediatas”, finaliza.