Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/07/20 às 10h45 - Atualizado em 10/08/20 às 11h05

Infraestrutura no Bernardo Sayão ganha forma

COMPARTILHAR

Retomados em julho de 2019, as obras nos lotes 2 e 3 do Setor Habitacional Bernardo Sayão atingiram a expressiva marca de mais de 50% dos serviços de drenagem e pavimentação concluídos. “A notícia é um alívio para a população e uma demonstração de comprometimento da atual gestão. Esta obra foi licitada em 2015 e, até dezembro de 2018, tinha somente cerca de 5% da drenagem do lote 2 executada. Hoje, estamos em fase avançada”, conta Luciano Carvalho, secretário de obras do GDF.

 

Até o momento, no lote 02, foram executados 52,52% dos 3,3 km de drenagem e 52,38% dos serviços de pavimentação. O investimento no lote é de R$7.789.188,46, com previsão de conclusão em janeiro de 2021. “Além da pavimentação, os serviços estão concentrados na execução da bacia de contenção”, esclarece Ricardo Terenzi, subsecretário de Acompanhamento e Fiscalização de Obras do GDF.

 

Já no lote 03 do Setor Habitacional, 83% dos 3,6km de drenagem e 26,82% de pavimentação foram concluídos. Um investimento de R$13.329.808,95, com previsão de entrega para janeiro de 2021. “A drenagem está na fase final, faltando a execução das bacias e lançamentos. A pavimentação está adiantada e queremos acelerar ao máximo e aproveitar o período de seca”, analisou Terenzi.

 

ENTENDA

 

Para realização dos serviços de infraestrutura, o Setor Habitacional Bernardo Sayão foi dividido em cinco lotes. Após a licitação realizada em 2015, devido a diversos imbróglios jurídicos, a obra teve início pelo lote 2, em outubro de 2018, antes de ser paralisada novamente.

 

Desde 2019, a secretaria tem trabalhado com afinco para encontrar soluções para as obras em lotes com serviços suspensos ou paralisados devido a má condução dos processos em gestões anteriores.

 

“A complexidade de uma obra pública de grande porte vai além da execução da obra em si. O arcabouço jurídico e administrativo nos bastidores é o termômetro para o bom andamento dos serviços. Caso falhem, a obra para e a população sofre”, destaca Carvalho.

 

O secretário acrescenta que “temos conseguido solucionar os impasses para continuidade das obras paralisadas em gestões anteriores. Depois de Vicente Pires, Sol Nascente, entre outras, é a vez do Bernardo Sayão ter a execução de mais três lotes da obra assegurada”, declarou Carvalho.

 

Nos casos dos lotes 02 e 03, a secretaria teve de lidar ainda com interferências de residências construídas em locais onde foram implantadas as galerias e bacias, além de outros tipos de construções e interferências, como postes de luz, drenagem não cadastradas, entre outros. “Tudo isso exige articulação e habilidade da gestão para que a obra não pare e a população não seja prejudicada”, afirma Carvalho.

 

RECURSOS

 

Parte dos R$ 56 milhões investidos nas obras da região são oriundos dos cofres da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap). “Os recursos arrecadados com venda de terrenos pela Terracap se transformam em obras e realizações que melhoram a vida em todo o DF, como o investimento em infraestrutura e tecnologia”, destaca Izidio Santos, presidente da empresa.

 

Ele comenta, ainda, que mesmo durante a pandemia a construção civil não parou. “A grande aposta com a retomada é justamente o investimento em obras, que emprega mais e mais rápido. Também por isso é tão importante darmos andamento às obras de Infraestrutura do Setor Habitacional Bernardo Sayão”.